16º WORKSHOP TATTOO SEGURA

30/01/2019 às 19:47

16º WORKSHOP TATTOO SEGURA

Como identificar e prevenir o câncer de pele

 

O câncer de pele não melanoma é o mais frequente no Brasil e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país. Apresenta altos percentuais de cura, se for detectado e tratado precocemente. Entre os tumores de pele, é o mais frequente e de menor mortalidade, porém, se não tratado adequadamente pode deixar mutilações bastante expressivas. Com a constante exposição de jovens aos raios solares, a média de idade dos pacientes vem diminuindo. Pessoas de pele clara, sensíveis à ação dos raios solares, com história pessoal ou familiar deste câncer ou com doenças cutâneas prévias são as mais atingidas.

Câncer de pele corresponde a cerca de 30% de tumores malignos no país

Pensando nesse diagnóstico precoce e em alertar pessoas que podem estar desenvolvendo a doença sem saber, a Faculdade IPEMED de Ciências Médicas – Instituto de Pesquisa e Ensino Médico do Estado de Minas Gerais realiza anualmente, há algum tempo, o evento Tattoo Segura – voltado para profissionais da tatuagem e perfuração. O objetivo é orientar quem atua nessas áreas a ajudar seus clientes a identificar sinais na pele que podem significar um câncer ou outra doença dermatológica, para que se encaminhem a médicos especializados. Afinal, são esses profissionais artistas que, além de dermatologistas, estão mais próximos das peles das pessoas.

O curso de capacitação em forma de palestras acontecerá, neste ano, no dia 20 de fevereiro, de 9h às 11h, nas unidades da IPEMED em Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Distrito Federal e Rio de Janeiro. As inscrições são limitadas e gratuitas.

Para dar um gostinho do que será nosso evento, conversamos rapidamente com as médicas dermatologistas, Dra Ana Carolina e Dra Luciana Ribeiro sobre algumas dúvidas comuns a muitos tatuadores.

  • A pessoa pode fazer uma tatuagem em cima da pinta? Tem algum dano futuro para o paciente?

– É desaconselhável pois o pigmento poderá encobrir a evolução de um provável câncer de pele que poderia ter sido convenientemente tratado e curado em tempo hábil se diagnosticado precocemente. Existe ainda a possibilidade do próprio pigmento, especialmente os vermelhos, estimular o aparecimento da neoplasia.

  • Qual o percentual de câncer de pele no Brasil e a incidência dele em relação a outros cânceres?

– Segundo o INCA, para o Brasil, para o ano de 2019, estimam-se mais de 165 mil casos novos de câncer de pele. O câncer de pele é o câncer de maior incidência no Brasil.

  • Na hora de fazer uma tatuagem, qual ou quais sinais o tatuador tem que ficar mais atento?

– Manchas elevadas ou não acastanhadas, com margens assimétricas, com pigmentação variável, mais escuras e mais claras, ulcerações, mesmo que simulam escoriações e presença de sangramento intermitente.

  • Cansei da minha tatuagem, posso retirá-la com o tatuador? Esse processo traz algum dano futuro para a pele?

– A remoção da tatuagem pode ser feita através de laser que fragmenta o pigmento depositado. Dependendo das cores da tatuagem, da profundidade do pigmento e do laser utilizado é possível a remoção praticamente completa. O local da remoção pode ficar um pouco mais claro ou mais escuro que o tonalidade natural da pele. O procedimento e a avaliação completa são feitos por médico dermatologista.

 

Para mais informações e inscrições, visite a página do evento: